Sommelier – ou sommelière, caso o cargo seja ocupado por alguém do gênero feminino – são termos muito comuns no universo do vinho, assim como terroir ou barricas de carvalho, por exemplo.

Neste artigo, viemos para mostrar que sommelier não é só uma palavra que quase não sai do nosso vocabulário, mas também uma figura extremamente importante no nosso dia a dia. Afinal, você sabe o que é um sommelier e o que ele faz? A gente te explica tudo aqui. Confira:

O QUE É UM SOMMELIER?

Segundo o dicionário, sommelier é um substantivo masculino designado ao profissional especializado em bebidas alcóolicas. Vamos entender melhor?

Apesar de ser uma nomenclatura extremamente comum no universo do vinho, a profissão não se limita somente à bebida de Baco (deus protetor das vinhas e do vinho): o sommelier é responsável pelos líquidos em estabelecimentos como restaurantes, bares, uma loja ou até mesmo uma importadora.

Segundo a Associação Brasileira de Sommeliers – São Paulo (ABS-SP):

“A palavra sommelier vem do francês. Em resumo, o carroceiro dos castelos e palácios, que, por transportar as pipas de vinho, acabou sendo incumbido de provar seu conteúdo antes que fosse servido aos Reis e nobres.”

IMPORTANTE: A palavra “sommelier” se pronuncia “somêliê”, enquanto “sommelière” (a mesma função, designada ao gênero feminino) pronuncia-se “somelier”.

O QUE UM SOMMELIER FAZ?

Como vimos, o sommelier é o responsável pelas bebidas em locais como restaurantes, bares, lojas, entre outros, certo? E o que isso significa?

Na prática, o sommelier participa ativamente dos processos de escolha, compra, recebimento, guarda, administração da adega e, principalmente, a prova das bebidas antes que elas sejam direcionadas aos consumidores finais. Além do vinho, o sommelier pode auxiliar no mesmo procedimento para a aquisição de cervejas artesanais, sakes e outros líquidos.

Basicamente, estamos falando da figura que é extremamente importante para auxiliar os empreendedores, principalmente do segmento alimentício, a criar a chamada “carta de vinhos”, ou seja, um portfólio de qualidade. 

A depender do estabelecimento, o sommelier será uma peça chave para auxiliar em uma estratégia de diferenciação do negócio, seja por conta das harmonizações propostas (especialmente no caso de restaurantes), pela possibilidade de oferecer produtos por um ótimo custo-benefício, além de, claro, um leque original e diversificado de garrafas.

Outros elementos importantes e que também fazem parte do escopo de um sommelier é fazer a correta manutenção do estoque dos produtos, saber como encomendá-los e participar das negociações, opinar sobre as regiões, as vinícolas (no caso do sommelier de vinhos), a procedência dos líquidos e seus respectivos preços e, caso necessário, elaborar treinamentos para sua equipe, seja ela a que vai servir a bebida ao consumidor final ou produzir algum conteúdo sobre o tema, por exemplo.

E não para por aí: de modo geral, os sommeliers estão cada vez mais aptos a compartilhar todo o seu conhecimento, seu estudo e sua paixão, o que pode resultar em palestras, cursos ou aulas, mentorias para empresas, eventos ou até mesmo a escrita de artigos para revistas, jornais ou sites especializados.

Grande exemplo disso, é a nossa querida sommelière, Jessica Marinzeck. Eleita em 2019 como um dos 50 nomes para o futuro do mundo do vinho pelas instituições Wine & Spirit Education Trust (WSET) e International Wine & Spirit Competition (IWSC) – e a única mulher da América Latina a receber esse título! – Jessica tem uma imensa bagagem no universo dos vinhos.

Estamos falando de uma mulher que já teve sua própria loja, já participou ativamente da colheita de uvas e elaboração de vinhos, já participou de diversos eventos e foi jurada da Grande Prova de Vinhos do Brasil, ministrou palestras, aulas e, inclusive, recentemente deu um curso de vinhos gratuitamente para os clientes da Evino – que ultrapassou a grande marca de 10.800 inscritos! 

Sobre as aventuras da profissão, Jessica comenta:

“Eu acho que o melhor de todas essas experiências foram as pessoas que eu encontrei no caminho, super clichê, mas algumas só passaram, outras ficaram e realmente com cada uma delas eu aprendi alguma coisa. E eu aprendi a valorizar até aquelas pessoas que te tiram da zona de conforto, em geral é com elas que a gente aprende mais [risos].”

Sommelière Jessica Marinzeck sorrindo, sentada em frente a uma adega de vinhos.

Jessica Marinzeck, sommelière da Evino.

SOMMELIER E ENÓLOGO: QUAIS AS DIFERENÇAS?

Seja um enólogo, um enófilo ou um sommelier, a principal coisa que une essas pessoas com certeza é a paixão pelo vinho. Mas você sabe quais são as diferenças entre eles? Vamos descobrir!

Para começar, vale explicar que “enologia” é uma palavra de origem grega, formada pelo radical “eno”, que significa “vinho”, e o sufixo “logia”, que significa estudo, conhecimento ou saber. Dessa forma, pode-se concluir que o enólogo é uma espécie de “cientista dos vinhos”.

Isso quer dizer que o enólogo é, literalmente, uma pessoa associada à ciência da bebida, especificamente o que diz respeito às técnicas de produção do vinho. É o especialista responsável em transformar a uva em vinho, considerado o “pai do vinho”.

Dentre as funções desse especialista, estão: a análise do solo e do terroir como um todo, a escolha das castas, a melhor forma de cultivar as uvas, a análise da saúde das vinhas e as respectivas técnicas de manutenção das mesmas, o nível de açúcar residual ou álcool do vinho, se será um varietal ou um blend, se passará ou não por barrica (e por quanto tempo), entre outros. A definição das técnicas de engarrafamento também passa pelo enólogo.

Além disso, também é o enólogo que define qual é o momento ideal para inserir o vinho no mercado, levando em consideração alguns aspectos como as safras e as características da bebida elaborada. Normalmente, são profissionais formados em agronomia, com especialização na área da vitivinicultura.

Resumidamente, podemos dizer que o enólogo é o responsável pela pré e a pós-produção do vinho, enquanto o sommelier é aquele que garante que só os melhores rótulos chegarão até o consumidor final, por meio de uma refinada curadoria.

Caso você se interesse em seguir algumas dessas profissões, a nossa sommelière Jessica Marinzek te dá todas as dicas no vídeo a seguir:

E O ENÓFILO?

Agora que sabemos qual a diferença entre o sommelier e o enólogo, surge outra dúvida: e o enófilo? Quem é essa pessoa que aparentemente também tem uma participação ativa no mundo dos vinhos? Confira:

De um modo geral, enófilos somos todos nós, os apaixonados por vinho! Isso significa que para receber essa nomenclatura, não é preciso ter necessariamente alguma formação na área – é preciso apenas apreciar um bom rótulo e entender sobre suas peculiaridades.

Além de ser um apaixonado por vinho, o enófilo costuma sempre estar atualizado sobre as bebidas, para sempre fazer as melhores escolhas durante a compra. Geralmente, são aqueles apreciadores que buscam o máximo de conhecimento possível nos mais diversos temas da vitivinicultura, como a história do vinho, as melhores harmonizações, as diferenças de uma mesma uva cultivada em países distintos, quais as uvas usadas na produção de uma bebida e como elas contribuem para o resultado final, entre outros assuntos.  

Como vimos, o radical “eno” significa vinho, enquanto “filo” vem do grego “phílos” e significa amigo, querido ou queredor. Dessa forma, enquanto o enólogo é um especialista em vinhos, o enófilo é aquele que tem grande paixão em conhecer e estudar sobre esse universo, mas não necessariamente se especializou, se inseriu no processo de produção ou trabalha na área.

Resumidamente: o enólogo é aquele que representa a pré e a pós-produção de vinhos, enquanto o sommelier está ligado diretamente a garantia de um consumo de bebidas de qualidade. Por fim, o enófilo é o consumidor final e grande apreciador de vinhos.

UM POUCO DE HISTÓRIA

A origem da profissão é datada da Idade Média, por volta do século XIII. Nessa época, “sommelier” era a palavra designada para a pessoa que conduzia animais de carga. Cerca de um século depois, a mesma palavra foi usada para nomear os encarregados por transportar e guardar todas as previsões das cortes reais em suas viagens.

Ainda nessa época, havia sommeliers dos mais diversos tipos: sommelier de frutas, de pães, de carnes e até mesmo de armas. Aos poucos, com o passar do tempo, a palavra sommelier passou a substituir o “échanson” – ou escanção – que é o oficial da corte destinado a servir vinho à realeza. Além de servir, o escanção também provava o vinho antes dos reis e rainhas, mas não somente para garantir a qualidade do líquido, mas também para se certificar que a bebida não estava envenenada.

A palavra “échanson” é anterior à sommelier, apesar de “escanção” ainda ser utilizada pelos portugueses para se dirigir aos profissionais responsáveis pelos vinhos nos restaurantes.

Foi somente a partir do século XVIII, quando os restaurantes de Paris se tornaram cada vez mais populares e a cidade se tornou uma espécie de centro mundial de gastronomia, é que essa “nova função” de provar os vinhos, de uma maneira mais parecida com a que conhecemos hoje em dia, se consolidou. Desde então, tornou-se habitual que o profissional responsável por garantir a qualidade do vinho, prová-lo, entre outros, fosse chamado de sommelier.

IMPORTANTE: A profissão foi regulamentada no Brasil através da Lei 12.467, de 26 de agosto de 2011, que reconhece a importância desse profissional no setor de alimentos e bebidas.

OUTRAS FIGURAS IMPORTANTES NO MUNDO DO VINHO

Além das figuras que mostramos anteriormente, também existem outros especialistas que são super importantes para a nossa bebida favorita. Vamos conhecê-los?

  • Ampelógrafo: Para começar, é preciso entender que Ampelografia é uma disciplina da área de Agronomia, que identifica e classifica todas as variedades das videiras. Sendo assim, Ampelógrafo é aquele que estuda e faz trabalhos acerca das características das folhas, dos cachos das uvas e das frutas em si, suas formas, cores e estruturas. Esses profissionais são extremamente importantes no que diz respeito aos estudos de DNA das uvas, muito aplicados nos registros das variedades.

 

  • Viticultor: Viticultura é uma ciência que estuda a produção da uva, e pode ser destinada para o consumo in natura, para a produção de sumo, vinificação ou a produção de uva passa. Sendo assim, o Viticultor é o profissional responsável pelo cultivo da uva, que cuida dos vinhedos durante todo o ciclo da videira, além de conhecer de maneira profunda as diferenças de terroirs e técnicas para manusear o solo de maneira adequada.

 

  • Mestre de cave: Este é o profissional que trabalha diretamente com o enólogo, garantindo que a produção dos vinhos ocorra da melhor forma possível. Ele organiza, gerencia e supervisiona toda a cave (ou adega), desde o momento em que as uvas chegam no pós-colheita até o processo de engarrafamento e a armazenagem dos rótulos.

 

  • Tanoeiro: É o profissional que fabrica as barricas de carvalho que são utilizadas no processo de amadurecimento do vinho.

Agora que você já sabe a diferença entre um sommelier, um enólogo e um enófilo, além de conhecer outros profissionais super importantes no processo de produção da nossa bebida favorita, que tal abastecer a sua adega? Você pode encontrar os mais diversos vinhos no nosso site. Um brinde! 😉